Páginas

domingo, 31 de outubro de 2010







O congresso da Juventude está sendo uma bênção. Hj nós fomos lembrados na palestra do Pr. Davi sobre a verdadeira Adoração, que independe das circunstâncias . Que Deus merece nossa adoração não só pelas dádivas das Suas mãos , mas pelo que Ele é.
Hj a noite tem mais!!!!!! Um abraço a todos, Paty Cardoso

sábado, 30 de outubro de 2010

LIÇÃO DE VIDA


Um belo dia de sol, Sr. Mário, um velho caminhoneiro chega em casa todo orgulhoso e chama a sua esposa para ver o lindo caminhão que comprara depois de longos e árduos 20 anos de trabalho.

Era o primeiro que conseguia comprar depois de tantos anos de sufoco e estrada. A partir daquele dia, finalmente seria seu próprio patrão. Ao chegar à porta de casa, encontra seu filhinho de seis anos, martelando alegremente a lataria do reluzente caminhão.
Irado e aos berros pergunta o que o filho estava fazendo e, sem hesitar, completamente fora de si, martela impiedosamente as mãos do garoto, que se põe a chorar desesperadamente sem entender o que estava acontecendo.

A mulher do caminhoneiro corre em socorro do filho, mas pouco pôde fazer. Chorando junto ao filho, consegue trazer o marido à realidade, e juntos levam o garoto ao hospital para cuidar dos ferimentos provocados.

Passadas várias horas de cirurgia, o médico desconsolado e bastante abatido, chama os pais e informa que as dilacerações foram de tão grande extensão, que todos os dedos da criança tiveram que ser amputados.

Porém, o menino era forte e resistia bem ao ato cirúrgico, devendo os pais aguardá-lo no quarto.Ao acordar, o menino ainda sonolento esboçou um sorriso e disse ao pai:
-Papai, me desculpe. Eu só queria consertar seu caminhão, como você me ensinou outro dia. Não fique bravo comigo.


O pai, enternecido e profundamente arrependido, deu um forte abraço no filho e disse que aquilo não tinha mais importância. Não estava bravo e sim arrependido de ter sido tão duro com ele e que a lataria do caminhão não tinha estragado.

Então o garoto com os olhos radiantes perguntou:
- Quer dizer que não está mais bravo comigo?
- É claro que não! – respondeu o pai.

Ao que o menino pergunta:
- Se estou perdoado papai, quando meus dedinhos vão nascer de novo?

Nos momentos de raiva cega, machucamos as pessoas que mais amamos, e muitas vezes não podemos “sarar” a ferida que deixamos. Nos momentos de raiva, tente parar e pensar em suas atitudes,a fim de evitar que os danos seja irreversíveis.Não há nada pior que o arrependimento e a culpa. Pense nisto!

O HOMEM E A FORCA



Conta uma antiga história que na Idade Média, um homem temente a Deus foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher. 
Na verdade, o autor do crime era pessoa influente do reino e, por isso, desde o primeiro momento se procurou um "bode expiatório" para acobertar o verdadeiro assassino.
O homem acusado foi levado a julgamento.
O resultado já era sabido por todos: a forca.
Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas chances de sair vivo desta história.
O juiz, que também estava combinado para levar o pobre homem a morte, simulou um julgamento justo, fazendo uma proposta ao acusado. Disse o juiz 
Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar sua sorte nas mãos do Senhor: vou escrever num pedaço de papel a palavra INOCENTE e no outro pedaço a palavra CULPADO
Você irá sortear um dos papéis e aquele que sair, será o veredicto.
O Senhor decidirá seu destino! - determinou o juiz.
Sem que o acusado percebesse, o juiz preparou os dois papéis, mas em ambos escreveu CULPADO, de maneira que, naquele instante, não existia nenhuma chance do acusado se livrar da forca.
Não havia alternativas para o pobre homem.
O juiz colocou os dois papéis em uma mesa e mandou o acusado escolher um.
 O homem parou por alguns instantes e orou, aproximou-se da mesa desconfiado porém confiante.
 Pegou um dos papéis e rapidamente colocou-o na boca e engoliu.
 Os presentes ao julgamento reagiram surpresos e indignados com a atitude do homem.
 Mas o que você fez? E agora? Como vamos saber qual será seu veredicto?
Não será difícil! - respondeu o homem. 
Basta olhar o outro pedaço de papel que sobrou e saberemos que acabei engolindo o contrário. 
Imediatamente o homem foi libertado
MORAL DA HISTÓRIA:
Por mais difícil que seja uma situação, não deixe de acreditar até o último momento. Saiba que para qualquer problema Deus terá sempre a solução (a melhor solução). A vitória virá sempre para aquele que Nele crer. O Senhor é sempre fiel.
Igreja Missionária Filadélfia
Juventude Filadélfia (Jovens com propósito)

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Barulho de Carroça





Certa manhã, meu pai convidou-me a dar um passeio 
no bosque e eu aceitei com prazer.
 
Ele se deteve numa clareira e depois de um pequeno 
silêncio me perguntou: 
- Além do cantar dos pássaros, você está ouvindo mais alguma coisa? 
Apurei os ouvidos alguns segundos e respondi: 
- Estou ouvindo um barulho de carroça. 
- Isso mesmo, disse meu pai. É uma carroça vazia ... 
Perguntei ao meu pai: 
- Como pode saber que a carroça está vazia, se ainda não a vimos? 
- Ora, respondeu meu pai. 
É muito fácil saber que uma carroça está vazia, por causa do barulho. 
Quanto mais vazia a carroça maior é o barulho que faz. 
Tornei-me adulto, e até hoje, quando vejo uma pessoa falando demais, Inoportuna, interrompendo a conversa de todo mundo,tenho a impressão de ouvir a voz do meu pai dizendo: 

Quanto mais vazia a carroça, mais barulho ela faz... 

terça-feira, 26 de outubro de 2010

NÃO TER PESO PARA CARREGAR

 
 Sadhu Sundar Singh, um Hindu convertido ao Cristianismo, tornara-se um missionário ao seu povo na Índia. Atrasado, certa tarde, Sadhu viajava a pé pelo Himalaia com um monge. Estava terrivelmente frio e o vento era sentido como lâminas agudas cortando a pele em fatias. A noite se aproximava quando o monge advertiu Sadhu que estavam em perigo de se congelarem até a morte se não alcançassem o mosteiro antes da escuridão cair.
Repentinamente, num caminho estreito acima de um bruto precipício, eles ouviram um grito por ajuda. Ao pé do despenhadeiro estava um homem, caído e muito machucado.
O monge olhou para Sadhu e disse:- Não pare. Deus trouxe este homem ao seu destino. Deve trabalhar para se salvar. Vamos nos apressar antes que nós, também, perecemos. 
Mas Sadhu respondeu:
- Deus me enviou aqui para ajudar meu irmão. Eu não posso abandona-lo.
O monge continuou, andando com dificuldade através da neve, enquanto o missionário tentava resgatar o homem. O ferido tinha a perna quebrada e não podia andar, então Sadhu fez uma tipóia com seu cobertor e amarrou o homem às suas costas. Com grande dificuldade ele escalou o despenhadeiro, agora encharcado por transpiração.
Obstinadamente, Sadhu fez seu caminho através da neve e da escuridão. Não estava fácil. Mas perseverou, embora quase desmaiasse pela fadiga e sobreaquecido pelo esforço. Finalmente, ele avistou as luzes do mosteiro.
Então, pela primeira vez, Sadhu tropeçou e quase caiu. Mas não de fraqueza. Tinha tropeçado em um objeto caído na estrada coberta de neve. Lentamente abaixou-se e escavou o objeto para fora da neve. Era o corpo do monge, congelado até a morte.
Carregar um corpo por um longo trajeto pode até ser cansativo, mas o calor humano compensa todo o esforço. Ajudar ao próximo pode te trazer muito mais vida do que você imagina...
JUVENTUDE FILADÉLFIA (Jovens com propósito)

A XÍCARA DE CHÁ



Havia um casal que costumava fazer compras em belas lojas. Ambos gostavam muito de atiguidades de cerâmicas e entraram numa loja para apreciar um conjunto de chá.

Quando viram uma xícara muito bonita disseram: "Nunca vimos algo tão bonito assim. Podemos ver aquela xícara?"

Quando a vendedora entregou a xícara para o casal, a xícara falou: "Vocês não sabem: Eu não fui sempre uma xícara de chá. Houve uma época em que era vermelha e de pura argila, mas um dia meu mestre me apanhou e me deu repetidas palmadas, até que gritei: "Deixe-me em paz!" Porém, sorrindo respondeu: "Ainda não!" Depois fui em uma roda e fiquei girando, girando...E quando pedia para ele parar, ele repetia: "Ainda não!" E para piorar a situação colocou-me no forno. Eu nunca senti tanto calor, por isso quis saber porque ele queria me queimar, então gritei, bati na porta. Mas, podia vê-lo através de uma abertura e podia ler seus lábios, enquanto balançava a cabeça: "Ainda não!"

Finalmente abriu aporta, colocou-me sobre a prateleira, e quando comecei a me refrescar ele me escovou e me pintou com uma tinta de cheiro horrível. Então gritei: "Pára, pára!" "Mas ele apenas disse: "Ainda não!" E levou-me para o forno mais quente ainda. Então implorei, supliquei, gritei, mas podia vê-lo repetindo a mesma frase: "Ainda não!" Eu começava a perder as esperanças quando ele abriu a porta do forno, me removeu e me colocou na prateleira, e uma hora mais tarde entregou-me um espelho que me causou espanto: Eu estava muito linda!

Depois de todo esse processo o mestre me disse: "Eu sei que lhe feri, que lhe dei palmadas, mas se eu a tivesse deixado no seu canto você teria secado até esfarelar. Todavia eu sei que lhe deixei tonta fazendo girar, mas se eu tivesse parado no meio do processo e não tivesse colocado você no segundo forno você não sobreviveria por muito tempo, pois não teria resistência. No entanto, agora está pronta, e foi transformada no que eu havia planejado.

Deus tem um plano para cada um de nós, e, apesar de algumas vezes não compreendermos os propósitos que Ele tem para nossa vida, devemos crer que somos pessoas abençoadas, pois Ele não permitirá que nossas tribulações durem para sempre.

Apenas aceite que o tempo de nosso Deus não é o nosso tempo porque Ele não dá o refrigério quando nós queremos, todavia no momento certo nos proporciona a vitória, porquanto Deus não tarda nem falha e escreve certo por linhas perfeitamente traçadas.

Se reagirmos com fé durante as tribulações, junto à vitória, chegará também o aperfeiçoamento espiritual, e, consequentemente, a intimidade profunda com Deus.

"Os olhos do Senhor estão sobre os justos; e os seus ouvidos, atentos ao seu clamor", (Salmos 34.15).

Mis. Sandra Moura, via blog http://m-evangelisticas.blogspot.com/
LI GOSTEI TIREI DO BLOG
http://paginasilustrativas.blogspot.com

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

UMA CHAMA ARDENTE





Um membro de determinado grupo, ao qual prestava serviços regularmente, deixou de participar de suas atividades sem nenhum aviso.
Após algumas semanas, o líder do grupo decidiu visitá-lo.
Era uma noite muito fria. O líder encontrou o homem em casa sozinho, sentado diante da lareira, onde ardia um fogo brilhante e acolhedor. Adivinhando a razão da visita, o homem deu as boas-vindas ao líder, conduziu-o a uma grande cadeira perto da lareira e ficou quieto, esperando. O líder acomodou-se confortavelmente no local indicado, mas não disse nada.
No silêncio que se formara, apenas contemplava a dança das chamas em torno das achas de lenha, que ardiam. Ao cabo de alguns minutos, o líder examinou as brasas que se formavam e cuidadosamente selecionou uma delas, a mais incandescente de todas, e empurrou-a para o lado.
Voltou então a sentar-se, permanecendo silencioso e imóvel.
O anfitrião prestava atenção a tudo, fascinado e quieto.
Aos poucos, a chama da brasa solitária diminuiu, até que houve um brilho momentâneo e seu fogo apagou-se de vez. Em pouco tempo o que antes era uma festa de calor e luz, agora não passava de um frio e negro pedaço de carvão recoberto de uma espessa camada de fuligem acinzentada.
Nenhuma palavra havia sido dita desde o protocolar cumprimento inicial entre os dois.
O líder, antes de se preparar para sair, manipulou novamente o carvão frio e inútil, colocando-o de volta no meio do fogo.
Quase que imediatamente ele tornou a incandescer, alimentado pela luz e calor das brasas ardentes em torno dele.
Quando o líder alcançou a porta para partir, o anfitrião disse:
- Obrigado por sua visita e pelo belíssimo ensinamento. Voltarei às minhas atividades amanhã. Deus o abençoe!
REFLEXÃO:
Analise como está o seu pedaço de carvão. Está cheio de luz e calor ou muito frio e sem vida?

O GALO ORGULHOSO



Dois galos estavam, disputando em feroz luta pelo direito de comandar a chácara.
Por fim um pôs o outro para correr.
O Galo derrotado afastou-se e foi se recolher num lugar sossegado.
O vencedor, voando até o alto de um muro, bateu as asas e exultante cantou com toda sua força.
Uma Águia que pairava ali perto lançou-se sobre ele, e com um bote certeiro levou-o preso em suas poderosas garras.
O Galo derrotado saiu do seu canto, e daí em diante reinou absoluto livre de disputa.
O orgulho leva à destruição, portanto, lembre-se do que diz a palavra de Deus:
“Porquanto, qualquer que a si mesmo se exaltar; será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar, será exaltado.” (Lucas 14.11)
Igreja Missionária Filadélfia
Juventude Filadélfia (Jovens com propósito)

domingo, 24 de outubro de 2010

O CAVALINHO



Certa tarde, o paizão saiu para um passeio com as duas filhas, uma de oito e a outra de quatro anos. Em determinado momento da caminhada, Helena, a mais nova, pediu ao pai que a carregasse, pois estava muito cansada para continuar andando. O pai respondeu que estava também muito fatigado.
 Diante da resposta, a garotinha começou a choramingar e fazer corpo mole. Sem dizer um só palavra, o pai cortou um pequeno galho de árvore e o entregou à Helena, dizendo: - Olhe aqui um cavalinho para você montar, filha! Ele irá ajudá-la a seguir em frente. A menina parou de chorar e pôs-se a cavalgar o galho verde tão rápido, que chegou à casa antes dos outros. Ficou tão encantada com seu cavalinho de pau, que foi difícil fazê-la parar de galopar. A irmã mais velha, intrigada com o que viu, perguntou ao pai como entender a atitude de Helena. O Pai sorriu e respondeu: - Assim é a vida, minha filha, Às vezes a gente está física e mentalmente cansado, certo de que é impossível continuar. Mas encontramos então um "cavalinho" qualquer que nos dá ânimo outra vez. Esse cavalinho pode ser um bom livro, um amigo, uma canção e, assim, quando você se sentir cansada ou desanimada, lembre-se de que sempre haverá um cavalinho para cada momento e nunca se deixe levar pela preguiça ou pelo desânimo.
Igreja Missionária Filadélfia
Juventude Filadélfia (Jovens com propósito)

A GALINHA


Numa granja uma galinha se destacava entre todas as outras por sua coragem, espírito de aventura e ousadia. Não tinha limites e andava por onde queria.
O dono porém, não apreciava estas qualidades e estava aborrecido com ela. Suas atitudes estavam contagiando as outras, que achavam bonito este modo de ser e já o estavam copiando.
Um dia o dono fincou um bambu no meio do campo, arrumou um barbante de aproximadamente 2 metros e amarrou a galinha a ele. Desse modo, de repente, o mundo tão amplo que a ave tinha foi reduzido a exatamente onde o barbante lhe permitia chegar. Ali, ciscando, comendo, dormindo, estabeleceu sua vida. Dia após dia acontecia o mesmo. De tanto andar nesse círculo, a grama que era verde foi desaparecendo e ficou somente terra. Era interessante ver delineado um círculo perfeito em volta dela. Do lado de fora, onde a galinha não podia chegar, a grama verde, do lado de dentro só terra.
Depois de um tempo o dono se compadeceu da ave, pois ela que era tão inquieta e audaciosa, havia se tornado uma pacata figura. Então cortou o barbante que a prendia pelo pé e a deixou solta.
Agora estava livre, o horizonte seria limite, poderia ir onde quisesse. Mas, estranhamente, a galinha mesmo solta, não ultrapassava o limite que ela própria havia feito. Só ciscava e andava dentro do círculo, seu limite imaginário. Olhava para o lado de fora mas não tinha coragem suficiente para se “aventurar” a ir até ela. Preferiu ficar do lado conhecido. Com o passar do tempo, envelheceu e ali morreu.
Quem sabe esta história traga a memória a vida de alguém conhecido. Nasce livre, tendo somente seus desejos como limite, mas as pressões do dia-a-dia fazem com que aos poucos seus pés fiquem presos a um chão que se torna habitual pela rotina. Olha para além do limite, que ele mesmo cria, com grande desejo e alimentando fantasias a respeito do que lá possa haver. Mas não tem a coragem para sair e enfrentar o que é desconhecido. Diz: “Sempre se fez assim, para que mudar? Ou meu avô, meu pai sempre fizeram assim, como eu iria mudar agora?
Há pessoas que enfrentam crises violentas em suas vidas, sem a coragem de ir à frente e tentar algo novo que seja capaz de tirá-las daquela situação. Admiram quem têm a ousadia de recomeçar, porém, eles próprios, queixando-se e lamentando-se, buscam algum culpado e vão ficando no lugar, dentro do limite o qual só existe na sua imaginação.
A características do mercado sempre foi, coroar com o reconhecimento aqueles que inovam, criam ou provocam situações que chamem a atenção. O segredo do sucesso está na criatividade. Criar significa pôr em prática alguma coisa que não existe. Arriscar significa correr risco de perdas. Isto é de fato, mas como se poderá saber o final da história se não se caminha até o fim.
Igreja Missionária Filadélfia
Juventude Filadélfia (Jovens com propósito)

sábado, 23 de outubro de 2010

Deus conta contigo!!!!


AGORA NÃO TEM MAIS DESCULPAS!!!

JACÓ... Foi trapaceiro;
LÉIA... Era feia;
JOSÉ... Era um sonhador;
MOISÉS... Tinha um problema de gagueira;
RAABE... Era uma prostituta;
DAVI... Foi um assassino;
SALOMÃO... Foi mulherengo;
ISAIAS... Tinha lábios impuros;
JEREMIAS... Era muito jovem;
ELIAS... Teve medo;
JONAS... Fugiu de Deus;
NOEMI... Era uma viúva;
PEDRO... Era emotivo e negou a Cristo;
MARIA MADALENA... Foi adultera;
MARTA... Preocupava-se demais com as coisas;
TOMÉ... Duvidava de tudo;
ZAQUEU... Era usurpador;
PAULO... Era religioso demais;
TIMÓTEO... Tinha uma úlcera;
LÁZARO... Estava morto!

Pense!!!Deus usou todos esses com seus defeitos e agora conta contigo, mesmo sabendo das tuas fraquezas!
Deus quer usar você com todo o seu potencial!
Apenas acredite nas promessas do Senhor !!!!! 

RECUPERANDO OPORTUNIDADES PERDIDAS




Quando eu olho para minha vida, posso ver onde eu perdi algumas oportunidades dadas por Deus. Talvez você esteja dizendo a mesma coisa. Se assim for, eu quero encorajá-lo: não viva em arrependimento. Não deixe que as oportunidades perdidas façam você se sentir decepcionado e desanimado. Deus é maior que suas oportunidades perdidas. Ele ainda pode fazê-lo chegar onde você precisa na vida.

Você já usou um desses sistemas direcionais de GPS em seu carro? Você define o local onde você quer ir, e o GPS calcula a melhor rota. Você pode estar dirigindo e se distrair e perder completamente a rua onde o GPS te instruiu que dobrasse, mas isso não significa que você nunca vai chegar ao seu destino. Esse sistema GPS irá imediatamente recalcular a rota, com base em sua localização atual. Deus trabalha de maneira semelhante. Ele está constantemente nos dando direções, falando aos nossos corações, conduzindo-nos através da concessão de paz ou agitação em nossos espíritos, mas mesmo quando perdemos Suas instruções - e todos nós fazemos isso de vez em quando - Ele vai recalcular o nosso percurso e nos levar de volta onde precisamos estar.

Eu gosto muito do que o apóstolo Paulo disse: "Uma coisa faço, esquecendo-me das coisas que para trás ficam, prossigo para o alvo". Ele estava dizendo que devemos voltar nossos pensamentos para o presente e o futuro e continuar procurando novas oportunidades. Esteja preparado, porque Deus está pronto para realizar os sonhos e desejos que ele colocou dentro do seu coração. Ele gosta de restaurar oportunidades que antes pareciam perdidas para sempre. E às vezes ele traz de volta aquelas oportunidades de uma maneira que não tínhamos considerado ou não estávamos procurando. Pode não acontecer sempre da forma que pensamos, mas se você ficar aberto, Deus irá abençoá-lo além de seus sonhos mais maravilhosos.

Igreja Missionária Filadélfia
Juventude Filadélfia (Jovens com propósito)

sábado, 16 de outubro de 2010

SIGNIFICADO DA PALAVRA APOCALIPSE

A palavra "Apocalipse" significa "revelar ou descobrir".
O livro começa dizendo que é "a revelação de nosso Senhor Jesus Cristo" ( Apocalipse 1:1 ), e expõe um terrível conflito que alcança dimensões cósmicas, no qual existe um vilão implacável e um herói que impressiona.
Muitos ignoram que este herói é nosso Senhor Jesus, identificado por 38 nomes e títulos descritivos diferentes. Nos primeiros três capítulos é mencionado 137 vezes e em todo o livro existem umas 250 referências a Sua sublime pessoa.
. O anjo de Deus ordenou que não fosse selado ( Apocalipse 22:10 ), e alegre-se! É um livro aberto especificamente para a nossa época ( Apocalipse 22:10-12 ). 
Mais ainda: contém uma promessa de bênção especial para aqueles que o estudam e respeitam sua revelação

Qual é o significado de Apocalipse e Os reinos das profecias de Daniel



Qual é o significado de Apocalipse 17:8-11? Aqui, um anjo disse a João sobre a besta com 7 cabeças e 10 chifres, que é a mesma que a besta do mar de 13:1-10. Nesta descrição, ele diz que a besta "era e não é, está para emergir do abismo e caminha para a destruição". 
Ele continua, dizendo que as sete cabeças representam 7 reis, "dos quais caíram cinco, um existe, e o outro ainda não chegou; e quando chegar, tem de durar pouco. E a besta, que era e não é, também é ele, o oitavo rei, e procede dos sete, e caminha para a destruição" (17:10-11).
 A profecia correspondente, de Daniel 7, fala de 10 reis e então o 11º rei pomposo, que se levantaria e removeria 3 reis anteriores. 
Estas profecias parecem indicar os mesmos acontecimentos da era romana. Daniel, escrevendo 600 anos antes de João, falou de 11 imperadores que viriam de Roma. 
João, vendo mais claramente que 3 deles nunca estabeleceram claramente seu poder, vê somente 8.
 A tabela no apêndice relaciona estas duas profecias com os nomes dos imperadores romanos até Domiciano. Independentemente de identificação específica de figuras históricas, este texto torna claro que João escreveu durante um intervalo entre dois períodos de grande perseguição. Tinha havido perseguição (veja 2:13; 6:9) e haveria mais perseguição no futuro (veja 2:10; 3:10; 6:11).
 Jesus queria que seus seguidores se preparassem para as provações que haveriam de vir
Daniel 2
   Daniel 7
Daniel 8
Identificação
Ouro
   Leão

Babilônia (2:37-38)
Prata
   Urso
Carneiro
Medo-Pérsia (8:20)
Bronze
   Leopardo
Bode
Grécia (8:21)
Ferro/Barro
Terrível/Diferente

[Roma]

Quando foi escrito o livro de Apocalipse?

Quando foi escrito o livro de Apocalipse?

 Eu não acredito que tenhamos de saber a data exata em que João escreveu para entender a mensagem básica de Apocalipse. Mas, achamos algumas coisas no livro que nos dão uma idéia de quando foi escrito.
Há pelo menos três pontos de vista populares quanto à data do escrito.
Um pouco de história 
Durante o reinado de Domiciano (cerca de 95 d.C.). Baseado em referências exteriores ao livro, especialmente um comentário por Irineu (escrevendo cerca do ano 180 d.C.), que o Apocalipse foi escrito próximo do fim do reinado de Domiciano, muitos comentários datam o livro de cerca de 95 ou 96 d.C.

Durante o reinado de Nero (cerca de 68 d.C.). Baseado especialmente na história da perseguição por Nero e referências dentro do livro, como a menção do templo e seu mobiliário (11:1), e a cidade santa (11:2), algumas pessoas acreditam que o livro foi escrito perto do fim do reinado de Nero, e que ele fala especialmente da destruição de Jerusalém, que ocorreu no ano 70 d.C.

Durante o reinado de Vespasiano (69-79 d.C.). Baseado em evidência interna, especialmente Apocalipse 17:10, alguns estudantes da Bíblia acreditam que o livro foi escrito entre as duas "bestas" perseguidoras. Identificando estas bestas como Nero e Domiciano, "o que existe" é Vespasiano.
 Esta parece ser a mais específica referência a data no livro, e este ponto de vista é mais consistente com a abordagem geral de colocar o texto bíblico acima dos argumentos históricos. Desta perspectiva, as punições discutidas no livro seriam dirigidas especialmente para o poder do mal comandado pelo imperador romano Domiciano.
Enquanto alguns estudiosos reconhecem estes argumentos razoáveis para sugerir outras datas, pessoalmente favoreço esta posição, preferindo apoiar-me mais firmemente na evidência interna do que nos argumentos históricos.