Páginas

sexta-feira, 29 de julho de 2011

PEDIDO DE ORAÇÃO

Boa noite à todos. Peço oração por mim e minha família, para que Deus esteja nos orientando. Deus abençoe. Pr. Paulo Cardozo.Aproveito e peço para minha família também.minhas filhas,netos,genros e principalmente pela minha vida.Nilza 

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Você quer opinar?


ALÔ QUERIDOS,

Graça e Paz,

Conforme vc já deve saber, estamos em fase final de gravação do 7º cd e 2º DVD da banda Vinho Novo.
Estamos tbm concluindo a arte e preciso de sua valiosa opinião:
Temos dois nomes a colocar:

1.    “HORA DE AGIR

2. “VIVER DE VERDADE

Que são os nomes de duas canções de trabalho.

Você quer opinar?
ou 2?

domingo, 24 de julho de 2011

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Mais Papai, Mais...

John Trent

Recentemente, uma mulher segurou meu braço após uma palestra que fiz a respeito da enorme necessidade que temos de auto-afirmação.
- Dr. Trent, posso contar-lhe minha história? – ela perguntou. – Na verdade, é uma história a respeito do que meu filho fez com minha neta e que ilustra o que foi dito aqui, a importância da auto-afirmação.
- Meu filho tem duas filhas – ela prosseguiu -, uma com cinco anos e outra com aquela "terrível" idade de dois anos.
Quando uma avó usa a palavra "terrível" para descrever um neto ou uma neta, podem acreditar, porque é verdade!
- Nesses últimos anos, meu filho tem levado a menina mais velha para passear com ele, mas só levou a mais nova recentemente. No primeiro passeio com ela, levou-a para tomar café da manhã em uma lanchonete.
Quando chegaram as panquecas, meu filho achou o momento seria propício para dizer à filha quanto ele a amava.
- Jenny – ele disse à filha – quero que você saiba quanto eu a amo e como você é especial para a mamãe e para mim. Oramos por você durante anos, e, agora que está aqui e se transformou em uma menina tão linda, estamos muito orgulhosos de você.
Depois de dizer isso, ele parou de falar e esticou o braço para pegar o garfo e começar a comer... mas não chegou a colocá-lo na boca. A menina pôs a mão sobre a do pai. Ele olhou para a filha e, com voz meiga e suplicante, ela disse:
- Mais, papai... mais.
Ele pousou o garfo na mesa, e prosseguiu, apresentando outros motivos que o levaram a amar tanto a filha, e, em seguida, fez menção de pegar o garfo novamente. Pela segunda vez... terceira vez... e quarta vez, ele ouviu as palavras.
- Mais, papai... mais.
Aquele pai quase não conseguiu saborear o desjejum naquela manhã, mas sua filha recebeu o sustento emocional de que tanto necessitava. Alguns dias depois, ela correu espontaneamente em direção à mãe e disse:
- Eu sou uma filha muito especial, mamãe. Foi o papai que disse.
JUVENTUDE FILADÉLFIA

quarta-feira, 13 de julho de 2011

VINHO NOVO- "HORA DE AGIR".


Queridos irmãos e amigos,
Graça e Paz.
estaremos QUARTA FEIRA  ensaiando com a galera que vai participar da gravação do 7º trabalho do Vinho Novo.
Provavelmente ele se chamará "HORA DE AGIR". tema este que explicaremos no ensaio ..
nesta oportunidade estaremos gravando o 7º cd e o 2º DVD.
compareça ao ensaio para trocarmos ideias a respeito do projeto e tbm para vc conhecer as novas canções.
Estão lindas!!!
grande abraço.
Luiz Cardoso
Vinho Novo Produções Artísticas
www.vinhonovo.com.br
(32) 3224.2844 - 8841.8845

quinta-feira, 7 de julho de 2011

O Menino e o carvão.........








O menino chega em casa bufando de raiva de um colega da escola que o humilhou na frente de seus amigos.

Em vão seu pai tenta acalmá-lo. Percebendo, então, que ele precisa "botar pra fora" sua raiva, o pai propõe-lhe uma forma alternativa de vingança:

- Vê aquela camiseta branca no varal, filho? Pois, bem, imagine que aquela camiseta é menino que te aborreceu.
Pegue aqui neste saco alguns pedaços de carvão e atire bem no peito dele.
Vamos ver quantas vezes você é capaz de acertá-lo, até que sua raiva passe.

A coisa toda pareceu-lhe boba, mas ele aceitou, afinal de contas seu pai estava do seu lado.

Errou algumas, acertou outras, mas atirou até a última pedra de carvão que havia no saco. No fim o pai perguntou-lhe:

- E aí, filhão, como se sente?
- Cansado, disse ele sorrindo, mas, em compensação, olha só como ficou a camiseta!

O pai, então, convida-o a entrar e o coloca diante de um espelho.
O menino leva um susto ao ver o quanto ficou sujo ao manusear o carvão, e o pai lhe diz:
- Assim é a vingança filho, você sempre acabará ficando sujo enquanto estiver atacando a pessoa que odeia. Perdoar é melhor!

Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; 
se, porém, não perdoardes aos homens, tampouco vosso Pai perdoará vossas ofensas.
Mateus 6.14-15

Que Deus abençõe sua vida... Pr. Paulo Cardozo.

PAI, COMEÇA O COMEÇO!


Quando eu era criança e pegava uma tangerina para descascar, corria para meu pai e pedia: - “pai, começa o começo!”. O que eu queria era que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, o mais difícil e resistente para as minhas pequenas mãos. Depois, sorridente, ele sempre acabava descascando toda a fruta para mim. Mas, outras vezes, eu mesmo tirava o restante da casca a partir daquele primeiro rasgo providencial que ele havia fe
Meu pai faleceu há muito tempo (e há anos, muitos, aliás) não sou mais criança. Mesmo assim, sinto grande desejo de tê-lo ainda ao meu lado para, pelo menos, “começar o começo” de tantas cascas duras que encontro pelo caminho. Hoje, minhas “tangerinas” são outras. Preciso “descascar” as dificuldades do trabalho, os obstáculos dos relacionamentos com amigos, os problemas no núcleo familiar, o esforço diário que é a construção do casamento, os retoques e pinceladas de sabedoria na imensa arte de viabilizar filhos realizados e felizes, ou então, o enfrentamento sempre tão difícil de doenças, perdas, traumas, separações, mortes, dificuldades financeiras e, até mesmo, as dúvidas e conflitos que nos afligem diante de decisões e desafios.
Em certas ocasiões, minhas tangerinas transformam-se em enormes abacaxis......
Lembro-me, então, que a segurança de ser atendido pelo papai quando lhe pedia para “começar o começo” era o que me dava a certeza que conseguiria chegar até ao último pedacinho da casca e saborear a fruta. O carinho e a atenção que eu recebia do meu pai me levaram a pedir ajuda a Deus, meu Pai do Céu, que nunca morre e sempre está ao meu lado. Meu pai terreno me ensinou que Deus, o Pai do Céu, é eterno e que Seu amor é a garantia das nossas vitórias.
Quando a vida parecer muito grossa e difícil, como a casca de uma tangerina para as mãos frágeis de uma criança, lembre-se de pedir a Deus.
“Pai, começa o começo!”. Ele não só “começará o começo”, mas resolverá toda a situação para você.
Não sei que tipo de dificuldade eu e você estamos enfrentando ou encontraremos pela frente neste ano. Sei apenas que vou me garantir no Amor Eterno de Deus para pedir, sempre que for preciso: “Pai, começa o começo!”.
Autor Desconhecido

JUVENTUDE FILADÉLFIA